Chocolate negro 70%, uma das opções que gosto!

Este chocolate negro da Pura Vida tem 70% de cacau.

Não é a percentagem de cacau muito elevada, ainda assim, uma vez que é um chocolate com adoçantes tem pouca quantidade de glícidos sendo uma opção muito interessante para as pessoas com diabetes.

Composição Nutricional por 100g:

  • 516 calorias
  • 22.9 g glícidos
  • 9.2g proteína
  • 41.3g gordura
  • 23.2g fibra

Composição Nutricional por cubo:

  • 51.5 calorias
  • 2.3g glícidos
  • 0.9g proteína
  • 4.2g gordura
  • 2.3g fibra

Contagem de equivalentes por cubo:

  • Se 10g de glícidos por equivalente: 0.23 equivalente
  • Se 12g de glícidos por equivalente: 0.19 equivalente
  • Se 15g de glícidos por equivalente: 0.15 equivalente

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)

Anúncios

Tornar o FreeStyle Libre mais bonito

Eu uso o FreeStyle Libre como sistema de monitorização flash da glicose desde 2016.
Quem acompanha o meu blog sabe que gosto muito e tenho uma excelente experiência com este dispositivo.

Existem várias opções para tornar o dispositivo mais giro. De facto, todos nós somos vaidosos e porque não tornar o nosso Libre e sensores mais bonitos?

A MIGUS é uma marca portuguesa, criada por uma pessoa com diabetes, que tem o objetivo de tornar o leitor e sensores do Libre mais giros.

Neste sentido, a MIGUS tem diversos padrões desenvolvidos para satisfazer o gosto dos mais jovens e crianças.
Alguns dos padrões são unicórnios, planetas, padrão tropa, padrão mais elegante, …entre outros. Espreite!

Consulte no facebook através de www.migus.pt ou www.facebook.com/migus.oficial/

Como a MIGUS diz “A vida é da cor que você pinta”

Foto by MIGUS

Já fiz o meu pedido à Lénia sobre um design que gostaria muito. Pode ser que tenha sorte. Façam “figas”! =)

Escolha o padrão que mais gosta ou varie!

Torne a sua vida mais colorida!

Já escolhi o meu =)

A Miss “Eu tenho Diabetes”, Vera Ruivo Dias

Bombons sem açúcar… a analisar

À uns dias atrás mostraram-me estes bombons que estão disponíveis em pacotes com 6 unidades.
Cada bombom tem 12g possuindo:

Valor nutricional (por bombom, 12g):

  • 67 calorias
  • 6.5g de hidratos de carbono
  • 0.8g de proteína
  • 4.1g de gordura

Cada embalagem (com o custo de 1 euro) tem 2 bombons com três sabores disponíveis: laranja, nata e avelã.

Contagem de equivalentes (por bombom,12g)

  • 10g de glícidos: 0.65 equivalente
  • 12g de glícidos: 0.58 equivalente
  • 15g de glícidos: 0.43 equivalente

Este é um exemplo de um produto disponível no mercado sem açúcar. Quando falamos em opções sem açúcar, não quer dizer que tenha menos quantidade de hisdratos de carbono que bombons com açúcar.

Comparando esta opção com com bombons com açúcar verificamos que algumas têm menor quantidade de glícidos. Por exemplo:

  • Ferrero Rocher: 5,6g glícidos
  • Mon Cheri: 5,5g glícidos
  • Raffaello: 3,8g glícidos
  • Ferrero Rondnoir: 5,1g glícidos

Assim, o facto de ser um produto com adoçante não compensará sempre. Deve avaliar cada uma das situações e comparar com outros produtos.

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)

Onde vou colocar a bomba hoje?

Uma dúvida que por vezes precisamos partilhar uns com os outros acerca da bomba perfusora de insulina: onde colocar abomba perfusora de insulina.

Antes demais, tenho que salientar que tenho sempre a bomba dentro de uma bolsa para a proteger.

Nestas situações acho que as mulheres têm mais hipóteses de “arrumar” a bomba que os homens. Algumas das minhas opções:

  • O uso de cuecas de licra, seguram muito bem. Colocamos a bomba (com uma bolsa de silicone ou tecido) entre o corpo e a cueca, na zona da crista ilíaca.
  • O uso de boxers coloco a bomba com a bolsa, habitualmente de silicone ou a de tecido, para que não “escorregue”, entre a pele e a roupa,
  • No caso de calças – utilizo a bomba nos bolsos ou entre as e corpo (internamente) =)
  • O encaixe com a clip/mola é muito útil e pode ser utilizado em: calças, saia, vestido na zona das costas, no soutien (na imaem rodeado a verde).
    Por último, refiro as exemplo,temos sempre aquele encaixe com mola. Esses são ótimos para quando usamos vestidos ou para prender no soutien 😉 Relativamente a meias uiii quantas já destrui por causa da bomba. Nesta hipótese se tiverem bolsa de silicone usem para que a bomba não se lembre de fazer buddy jumping pelas meias abaixo =)
  • Podemos ainda optar por adaptar a nossa roupa e fazer bolsos para colocar na bomba, na roupa interior ou no interior de vestidos ou camisolas.
  • Existem os elásticos de velcro que podemos usar à cintura, onde encaixamos a bomba na bolsa de tecido ou couro (na imagem a cinza). Embora as tenha utilizado durante algum tempo não as considero confortáveis.
  • Faixas em tecido, tenho uma amiga a Filipa que faz umas lindas e perfeitas. Deixo aqui o link para entrarem em contacto com ela através da página da Filipa, a Piparte http://www.facebook.com/piparte.piparte/
    (fotografia na imagem a laranja). As bolsas da Piparte têm uma zona térmica onde se coloca a bomba.
  • Sardinha Riscada uma pessoa muito prendada dedica-se a fazer bolsas em tecido para as bombas como poderá consultar em http://www.facebook.com/sardinhariscada/
  • Existem também algumas faixas de licra que se ajustam muito bem ao corpo. Uma amiga minha, a Cecília Martins, fá-las na perfeição. Poderão entrar em contacto com ela através de http://www.facebook.com/cecilia.martins.790256 (fotografia na imagem a rosa)
  • Bolsas em tecido ou cabedal – são as que mais utilizo para proteger a bomba tem um encaixe para um cinto ou para uma fitinha que depois dá para colocarmos ao pescoço. Está uma foto na imagem do artigo (na imagem rodeada a azul).
  • Existem ainda algumas bolsas à venda como por exemplo, na decathlon que dão para colocar bomba. Tenho uma na imagem da Kalenji.
  • Bolsa de cabedal com clip embora segure bem a bomba só permite o acesso aos botões laterais (a fotografia a roxo). Embora as bombas tenham botões automáticos considero que não é prática porque não permite visualizar o ecrã, pelo que temos que tirar sempre a bomba da bolsa. Esta bolsa também tem o problema de fazer muita pressão na bomba estragando o material da bomba ao longo do tempo. Acho que não devemos utilizar por danificar a bomba, estranho pois é um material desenvolvido pela própria Roche.
  • Bolsas de silicone (na fotografia a amarelo) – são boas para quando usamos a bomba em contacto com a pele e também para usarmos como proteção dos botões laterais que com o uso se vão estragando.
  • Para quem utiliza bomba da Medtronic, neste site, existem algumas opções de bolsas disponíveis para compra: http://www.medtronic-diabetes.com/es/ayuda-paciente/accesorios
  • Um site inglês Pouch For All da Tracey Michelle tem várias ofertas de modelos e padrões de bolsas à cintura para bombas Pouch For All http://www.pouchforall.co.uk/product-category/insulin-pump-standard-waist-pouches/
  • Carlos Santos também faz bolsas para bombas em tecido http://www.facebook.com/profile.php?id=10001020651776

Espero ter ajudado com as minhas sugestões!

Boas glicemias a todos!

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)

Identificação da diabetes

Vários de nós temos pulseiras ou algo que usemos que indica que temos diabetes.

Pulseiras, fios, cartões identificativos, tatuagens =)

Bem são inúmeras as opções com um objetivo comum

garantir a nossa segurança e que nos conseguem ajudar se precisarmos

Esta situação não passa por “andarmos a mostrar” mas sim não omitir para que nos consigam ajudar.

Foi uma das minhas defesas depois do diagnóstico de diabetes “dizer” a todas as pessoas que tinha a patologia para, creio que naquele momento, me defender, mas também ter o apoio que evetualmente necessitasse.

Em relação às opções das pulseiras, podemos optar por pulseiras que várias modelos.

Nos modelos simples de associações, por exemplo temos:

Depois temos pulseiras mais completas com QR code.

O QR code, que significa Código de resposta rápida, é um código de barras bidimensional que é “lido” pela maioria dos telemóveis com câmara e que indica um contacto ou disponibiliza informações quando é lido.

  • Pulseira Silincode em silicone e em Nylon – adquirida através http://www.facebook.com/pg/ladybetic.str
  • Pulseira Ice-Key – disponível em http://www.ice-key.it/ , valor mínimo 20€. Tenho uma de quando participei no Umbria Crossing e gosto muito dela. Pode ser lida por NFC e QR code, sendo que permite aceder a informações como: fotografia, nome, data e local de nascimento, número de identificação fiscal, grupo sanguíneo, número do utente do Serviço Nacional de Saúde, patologias, alergias a medicamentos e alimentos, história de cirúrgias, terapeutica que realiza, número de contacto de emergência. Esta informação está disponível em 7 línguas.

Estas são algumas estratégias disponívies para a identificação de ter diabetes mas ainda existem outras opções como por exemplo, colares medalhas, autocolantes ou emblemas com o QR code para capacete ou roupa, enter outros. O ICE KEY tem disponível para venda alguns destes materiais.

Na minha opinião, vale sempre a pena estarmos prevenidos.

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)

O Pâncreas Artificial “está a caminho” – Parte 2

Como a imagem de destaque deste artigo indica, todos nós sonhamos com um futuro ideal, próximo que nos vai surgindo entre a neblima.
Se pensarmos nas eveluções e melhorias na área da diabetes nos últimos anos, ninguém, tem a mínima dúvida que têm sido melhorias significativas e com grandes repercusões quer no conhecimento da diabetes, na gestão e consequentemente, no seu controlo.

Na continuidade do artigo escrito anteriormente, queria deixar algumas coisas escritas.

Existem bombas que o permitem fazer esta situação a bomba da Medtronic MiniMed 670g ou mesmo 640g, associada a sistema de monitorização continua de glicemia. De um modo muito simplea, estas bombas suspendem a insulina no caso de existir uma dimunuição da glicemia e só reativam a insulina basal a partir de determinado valor.

Estes sistemas estão validados, estudados e são seguros.

Por outro lado, existem sistemas “artesanais” que tentam fazer a mesma situação mas não com softwares ou hardwares estudados e desenvolvidos para tal.

Estes sistemas híbridos de closed-loop “artesanais”, vou denominar assim, resultam da associação de um sistema de monitorização de glicose com uma bomba com o uso de uma software. Estes sistemas devem podem representar riscos, se por exemplo, existir um erro no cálculo de algum fator, se por exemplo, a bomba perder o sinal do sistema de monitorização da glicose, ou se, por exemplo, se perder a avaliação da glicose.

Estes sistemas, para serem seguros, devem ser aplicados por profissionais de saúde e com experiência.

Pode correr tudo bem, mas também, pode correr mal. Imaginem, por exemplo, uma basal aumentada para 200% numa criança, está no intervalo, começa a correr, o valor desce e o sistema perdeu o contacto, ou com a bomba ou com o sistema de monitorização da glicose, …

Imaginem, estamos a falar de softwares, correto? Imaginem se “alguém” acede ao software que gere a minha insulina basal, tipo um hacker?!
Já tentaram pensar nesta situação?
De facto é assustadora!
No risco que representa no mundo em que vivemos?

No último post em que falei do Professor Thomas Danne falar dos sistemas híbridos de Closed-Loop, sendo que não indicquei que ele próprio, na sua apresentação nos fez todos pensar na hipótese da existência de um hacker, que possa fazer alguma coisa que altere o nosso tratamento e que possa colocar em causa a nossa vida.

Neste sentido, e por ter visto aguns comentários acerca das hipóteses de sistema híbridos de closed-loop artesanais, sinto necessidade de

ALERTAR QUE ESTA SITUAÇÃO PODE COLCOCAR EM CAUSA A NOSSA VIDA!

Não deve ser NUNCA feita por alguém que perceba de informática ou que não é profissional de saúde. Esta é a minha consciente opinião.

Atenção, que estamos a falar da nossa vida, da vida “do nosso filho”, …


Todos nós sabemos a direção que queremos tomar.
Mas devemos aguardar, muito ansiosos e muito expectantes, confesso que estou na mesma situação, mas devemos aguardar por uma opção segura que nos surja da comunidade científica!

Um forte abraço a todos =)

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)
Fotografias de Carla Dias

Fotografia de Carla Dias

O Pâncreas Artificial “está a caminho”

O tratamento da diabetes tem sido alvo de grandes investimentos tecnológicos que, em muito, tem melhorado a qualidade de vida e controlo e gestão da diabetes.

O Pâncreas Artificial, composto por uma bomba de insulina e uma monitorização da glicose, chamado de Sistema híbrido de closed-loop, sendo que existe uma suspensão da bomba perfusora de insulina ou a administração de um bólus de insulina de acordo com o valor da glicemia. Este é um tema falado à muitos anos.

Este ano no Congresso da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo que decorreu na última semana de janeiro em Braga, tive a o tremendo gosto de ouvir o Professor Doutor Thomas Danne. O Professor Doutor Thomas Danne é um médico endocrinologista pediatra que tem trabalhado e investido nos processos de closed-loop.
Durante a palestra o Professor Danne indicou que os resultados têm sido bons. Ainda assim, indicou, salientando a importância do que iria dizer, que estando a falar de sistemas tecnológicos existem alguns riscos a eles associados como o alguém “alterar a porogramação” realizada.
Toda a programação destes sistemas deve ser feito por médicos. Embora possamos ter acesso a algumas informações de programação este não deixa de ter um elevado risco pois o sensor colocado na pele irá transmitir os dados para a bomba que poderá administrar insulina ou suspender a bomba de insulina.

Esta situação permite à pessoa com diabetes mellitus tipo 1 e seus cuidadores conseguirem dispender menos tempo para o tratamento e gestão da doença, na medida em que serão necessários menos cálculos de correções de glicemia, menos cuidados e tempo dedicado.

A pessoa com diabetes ou seu cuidador tem algumas tarefas indispensáveis e que devem exatas:

  • colocar os hidratos de carbono que irá ingesrir,
  • confirmar o bólus de insulina sugerido pelo sistema para que a bomba o administre,
  • realizar várias calibrações do valor de glicose no sensor durante o dia.

Claro está que esta inovação exige preparação, experiência e segurança neste sistema. Não vamos começar todos a fazer sistema de close-loop no espaço de um mês ou outro período que seja. Este tratamento vai demorar algum tempo a ser implementado mas são excelente notícias para nós (pessoas com diabetes ou cuidadores), que passamos muitos, muitos minutos diariamente a fazer contas, ajustar tratamentos, alimentação, entre outros fatores.

Estamos a avançar as coisas têm melhorado muito =)

Vamos aguardar, com muita expectativa, este Sistema híbrido de closed-loop, que naturalmente, vão exigir tempo para ser realizado com segurança!

Pode ser que um dia, a nossa diabetes seja, pelo menos, mais simples, …

Poderá ler o artigo australiano que fala deste assunto em http://‘I’m clear headed during the day and can go about my daily activity without having to factor in diabetes to every activity.’

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)

1 ano depois da diabetes me ter vencido…

Hoje, faz precisamente 365 dias que percebi que a diabetes pode dominar-me em determinadas situações.
Sempre achei que eu conseguia reagir, corrigir a hipoglicemia… Mas não.

Já se passaram 365 dias desde que tive um acidente por uma hipoglicemia severa!
Quem diria… tenho dores diariamente… em atividades tão quotidianas como me baixar para pegar na mala do computador, o espreguiçar, o virar o tronco, …

Quero apenas deixar mais um alerta.

Não quero que ninguém descreva uma situação como a minha por não conseguir reagir.

Enquanto conseguimos, temos que parar e agir.

A impotência é tão forte, tão real, que neste último ano passei a respeitar mais a minha diabetes.

Macabro… hoje precisei sair mais cedo do trabalho (16h10m) tive que parar 15 minutos para corrigir uma hipoglicemia. E sabem?
Percebi que isto se estava a passar exatamente a hora em que tive o acidente.

Somos super heróis, somos pessoas muito valentes, mas temos que “escutar a nossa diabetes”. Se temos que parar…

PARAMOS IMEDIATAMENTE,

independentemente de existirem pessoas, atividades, ou mesmo, mundos e universos a aguardar por nós.

O meu verdadeiro obrigada a todos os que me ajudaram de todos os modos que precisei, força, sorrir, limpar as lágrimas.
Tantas pessoas… tão importantes!


Embora a vida vá acontecendo cada um de nós tem oportunidade de a ir delineando e colorindo do modo que queremos.

Foto de Carla Dias! http://www.facebook.com/Darkroom-604386626350653/

Cuidem de vocês!

Um enorme abraço a todos!

Artigo sobre o acidente.
A Terra Gira by Os Quatro e Meia

A Miss “Eu tenho Diabetes”, Vera Ruivo Dias

O meu “arco-íris” vai aumentandoooo…

A diabetes faz-nos conhecer imensas pessoas…

  • profissionais de saúde,
  • pessoas com diabetes,
  • pais de pessoas com diabetes,
  • cuidadores de pessoas com diabetes ,
  • namorado(a) de pessoas com diabetes ,
  • esposo (a) de pessoas com diabetes …

A diabetes torna-se mais simples quando a vivemos e partilhamos com estas pessoas!

Afinal, são elas “as cores”, são elas, estas pessoas especiais, que nos ajudam dia, após dia.

  E sabem?

O meu “arco-íris” continua a aumentar!

https://deverasnutritivo.wordpress.com/2017/07/19/as-cores-da-diabetes/

A Miss “Eu tenho Diabetes”, Vera Ruivo Dias

Amigos muito especiais…

A diabetes faz-nos desenvolver amizades com pessoas que de outro modo nunca conheceríamos.
De facto a diabetes é uma doença que nos exige todos os minutos cuidados, atenção, ajustes e ações constantes.

Quando temos um desafio destes a melhor forma de o superarmos e tolerarmos é com apoio e ajuda das pessoas que nos são mais próximas, da família e dos nossos amigos que conhecemos devido à diabetes.
Estes amigos especiais conseguem sentir as nossas dificuldades em gerir a nossa diabetes em alguns momentos.

Ontem foi dia de consulta de bomba. Foi dia de ajustar o tratamento e objetivos.

A ausência de atividade física nos últimos meses, aumentou as minhas glicemias, consequentemente aumentei a insulina. Naturalmente, por vezes, fazemos coisas menos corretas.
Agora aprender com os comportamentos menos corretos, redefinir objetivos e alcançá-los.

OBJETIVOS:

  • dedicar tempo à minha diabetes,
  • diminuir hipoglicemias, a menos de 15%,
  • praticar exercício físico,
  • aumentar o tempo em valores alvos.

Obrigada a todos os meus amigos que nunca “me largam”! Convosco é muito mais simples!
Quase um ano depois do acidente que sofri, é tempo de melhorar mais o meu controlo! https://deverasnutritivo.wordpress.com/2018/05/16/parar-pensar-redefinir-modos-de-agir/

 Força a todos!

Um forte abraço =)

O meu obrigada!

A Miss “Eu tenho diabetes”, Vera Ruivo Dias