Tornar o FreeStyle Libre mais bonito

Eu uso o FreeStyle Libre como sistema de monitorização flash da glicose desde 2016.
Quem acompanha o meu blog sabe que gosto muito e tenho uma excelente experiência com este dispositivo.

Existem várias opções para tornar o dispositivo mais giro. De facto, todos nós somos vaidosos e porque não tornar o nosso Libre e sensores mais bonitos?

A MIGUS é uma marca portuguesa, criada por uma pessoa com diabetes, que tem o objetivo de tornar o leitor e sensores do Libre mais giros.

Neste sentido, a MIGUS tem diversos padrões desenvolvidos para satisfazer o gosto dos mais jovens e crianças.
Alguns dos padrões são unicórnios, planetas, padrão tropa, padrão mais elegante, …entre outros. Espreite!

Consulte no facebook através de www.migus.pt ou www.facebook.com/migus.oficial/

Como a MIGUS diz “A vida é da cor que você pinta”

Foto by MIGUS

Já fiz o meu pedido à Lénia sobre um design que gostaria muito. Pode ser que tenha sorte. Façam “figas”! =)

Escolha o padrão que mais gosta ou varie!

Torne a sua vida mais colorida!

Já escolhi o meu =)

A Miss “Eu tenho Diabetes”, Vera Ruivo Dias

Anúncios

Setas de tendência

Como interpretar as setas de tendência do FreeStyle Libre?

Desde que comecei a utilizar o FreeStyle Libre® que considero que o seu maior trunfo são as setas de tendência.

As setas de tendência permitem-nos compreender qual será a variação da glicose nos próximos minutos, como indica a Tabela seguinte.

Pontos de venda do FreeStyle Libre 04.07

As setas de tendência permitem-nos realizar uma correção, comer ou tomar insulina, precocemente, evitando uma hiperglicemia ou hipoglicemia significativa. Deste modo, as setas de tendência do FreeStyle Libre® são um trunfo fundamental na melhoria do controlo metabólico das pessoas com diabetes.

A Miss “Eu sou diabética”, Vera Ruivo Dias

View original post

Amigos especiais para pessoas especiais: Pata d’Açúcar

No dia em que decorre a 2.ª Gala Solidária Pata D’Açúcar no Teatro Tivoli BBVA releia a entrevista ao Vice-Presidente José Antunes =)

Há uns meses, comecei a ouvir falar de cães que podem ser treinados para a identificação de hipoglicemias em pessoas com diabetes. Na noite de Natal, uns familiares, o Bruno e a Paula, falaram-me do Luke (um menino com diabetes) e o Jedi (o seu cão), que já mencionei num post anterior aqui no blog.

Entretanto, ouvi falar na Associação Pata d’Açúcar – Medical Dogs for Diabetics. Esta associação destina-se a treinar cães para detetarem hipoglicemias em humanos. A hipoglicemia é uma complicação aguda da diabetes em que os níveis de glicemia sanguínea descem a valores inferiores a 70mg/dl, podendo colocar em risco a vida da pessoa.
Entretanto procurei mais informações acerca da Pata d’Açúcar e vi uma reportagem ao Vice-Presidente da Associação, o José Antunes. Nesse mesmo momento coloquei na minha lista de tarefas contactá-lo para saber mais sobre este Projeto.

Curiosamente, conheci o José num almoço de…

View original post mais 1.818 palavras

Ainda sobre a Diabetes…

A Diabetes é uma doença crónica. No caso da diabetes tipo 1, não é consequência do consumo de açúcar, como sabem.

Hoje saiu um artigo no Público do Luis Aguiar-Conraria que vale a pena ler., acerca da diabetes do Natal e do que efetivamente faz faltas às pessoas com diabetes!
Faça-o

https://www.publico.pt/2019/01/09/sociedade/opiniao/estado-falha-ninguem-liga-1857121?fbclid=IwAR1ePbpr7wp5ZKz6tzZ3iQ5kfgt3E37GHWo2s-uco_WF_NzAx-Z476uIfjo

É efetivamente assustador o desconhecimento que ainda existe sobre a diabetes e as diferenças entre os tipos de diabetes. As pessoas com diabets não têm culpa de a terem ou não comeram demasiados doces. Tiveram azar porque têm uma doença auto-imune e que nada podem fazer para a curar. Podem no entanto, como refere o Luis, ter maior controlo através de recursos que estão ao acesso de muito poucos doentes.
Como o Luís diz, nós não queremos que entendam mas que nos respeitem. Tentar fazer aquele exercício de se colocarem no nosso lugar é difícil porque a maioria das pessoas, que não têm contacto direto com a doença não têm qualquer noção do que exige “ter diabetes”.
Por favor, informem-se antes de cometerem atrocidades “comesse menos doces”…
Obrigada pelas pessoas com diabetes, obrigada pelos pais das pessoas com diabetes, obrigada pela familia, companheiros e amigos das pessoas com diabetes.

Obrigada Luís pela desmistificação da doença, por partilhares connosco a dificuldade que é esta situação.

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias

As pessoas com diabetes também têm preguiça

Quando o teu sono é tanto que para subir a glicemia recorres ao que sabes que não é de todo a melhor opção: 1 chocolate com 10 gramas e 5.3 gramas de hidratos de carbono.

O alarme da glicémia tocou: comi 15  gramas de açúcar e baixei a basal para 20% por 45 minutos porque não tinha fome.

Quando a glicemia subiu a mg/dl comi um chocolate.

Obviamente o chocolate não é a melhor opção para corrigir pelo aporte de gordura que atrasa a subida da glicemia. Mas numa tentativa desesperada de corrigir sem comer, acabou por resultar.

Claro que o fiz porque no caso de não ser suficiente tinha os alarmes do blucon para me acordar.

As pessoas com diabetes também têm direito a ter preguiça =) Mas que seja SEMPRE com segurança!

Como sabem este não é o procedimento adequado!

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias

Sonhos de Jerimu

Porque estes sonhos são deliciosos, partilho a receita

Natal sem açúcar… 😉
Eu adorooooo Sonhos de abóbora!
Eis uma receita em açúcar =)

Rendimento: 14 unidades

Ingredientes:

  • 1Kg de abóbora menina já descascada
  • 1 colher de café de sal
  • 60g de farinha integral
  • 3 ovos tamanho S
  • 1 colher de sopa mal cheia de stevia ou 2 colheres de sopa de frutose
  • 1 limão
  • óleo para fritar
  • 2 colheres de sopa de vinho do Porto

polvilhar, se quiser:

  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 2 colheres de stevia em pó

Preparação:

  1. Cozer a abóbora com o sal, no mínimo de água possível e com a panela tapada.
  2. Reduzir a abóbora me puré, e com a ajuda de um pano escorrer o máximo de água possível.
  3. Numa tigela colocar o puré de abóbora com a farinha, as gemas, o adoçante, a raspa da casca do limão, o vinho do Porto. Misturar tudo até obter uma forma homogénea.

View original post mais 143 palavras

Campanha sensibilização da DM2


 A Federação Portuguesa de Pessoas com Diabetes desenvolveu uma campanha de sensibilização, prevenção e controlo da Diabetes Mellitus Tipo 2.

Foram realizados rastreios do risco de desenvolvimento de Diabetes Mellitus Tipo 2 durante um dia no Colombo com uma grande adesão.

Simultaneamente foi realizado a sensibilização para o controlo desta doença.

A Diabetes Mellitus Tipo 2 é uma doença com uma elevada taxa de prevalência .
Em Portugal a diabetes atinge 9.8% da população com idades entre os 20-74 anos de idade, sendo superior à média europeia que é de 9.1%.
Nas pessoas com idade entre os 65-74 anos a prevalência de pessoas com diabetes é de 23.8% da população portuguesa.

A Diabetes Mellitus Tipo 2  é o principal tipo de diabetes, representando 90% dos casos da doença.
A Diabetes Mellitus Tipo 2 resulta da produção inadequada de insulina pelo corpo ou também pode acontecer por uma incapacidade do organismo de responder à insulina.

Este tipo de Diabetes é mais frequente em adultos mas tem aumentado a sua prevalência em crianças e jovens devido aos estilos de vida menos saudáveis.
Alguns fatores de risco para o desenvolvimento da  Diabetes Mellitus Tipo 2 são:
– realização de uma alimentação não saudável, nomeadamente uma alimentação rica em gorduras, açúcares adicionados e calorias
– existência de excesso de peso ou obesidade,
– antecedentes pessoais de Diabetes Mellitus Tipo 2,
– sedentarismo, entre outros.

Vários fatores de risco são modificáveis, ou seja, se a pessoa em risco de desenvolver os alterar poderá diminuir ou atrasar o risco de desenvolver Diabetes Mellitus Tipo 2, como a prática de atividade física e a adoção de uma alimentação saudável.

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias




Colocação do sensor … algumas sugestões …

Existem vários cuidados que temos sempre que ter no momento da colocação do libre 🙂

Estamos a passar um período do ano com temperaturas muito elevadas, atingindo records. Esta situação, naturalmente, altera o nosso corpo:

mais sudorese, menos capacidade de adesão dos adesivos.

Isto nota-se em qualquer adesivo, em pensos, em proteções, nos cateteres das bombas, e também nos sensores dos monitorizadores de glicemia.

Claro que no caso do Sensor do FreeStyle não é diferente. Não nos podemos esquecer que este é “um bem precioso para nós e devemos tratá-lo da melhor forma”, com o objetivo de evitar perdê-lo.

Somos um país muito quente e quer sejam sensores ou outras coisas semelhantes devemos ter cuidados extra.

Cuidados que tenho quando coloco o sensor:

  1. Horário: coloco o sensor sempre durante a noite para estar menos calor. Sempre que colocamos o sensor durante a tarde, ou mesmo numa manhã que esteja temperaturas elevadas, a pele está mais oleosa e está, naturalmente mais quente.
  2. Após o banho, para…

View original post mais 477 palavras

Mousse de chocolate com abacate sem açúcar

=)
Adoro esta sobremesa =)

Como começar um fim-de-semana prolongado? Que tal com uma receita de uma sobremesa deliciosa?

Mousse de chocolate com abacate sem açúcar

Ingredientes (4 doses de 90 g cada, cerca de 3 colheres de sopa cheias):

  • 1 abacate (maduro), 160g
  • 1 bananas (maduras), 90g 
  • 100ml de bebida de amêndoa sem açúcar
  • 40g de cacau em pó magro sem açúcar
  • 1 colher de chá de stevia, de acordo com o gosto, cerca 5g
  • nozes e framboesas a gosto

Preparação

  1. Partir a pêra abacate e a banana em pedaços para uma taça.
  2. Juntar o cacau em pó e a bebida de amêndoa.
  3. Triturar com a varinha mágica.
  4. Adicionar 1 colher de chá de stevia em pó (ode adicionar mais se gostar).
  5. Distribuir em taças e enfeitar com nozes e framboesas, por exemplo.

Na versão de hoje adicionei uma noz por cada dose e algum coco ralado! Ficou deliciosa!

24281709_10210536732245989_1884174338_oValor nutricional:

  • 126.6 calorias

View original post mais 33 palavras