Parar… Pensar… Redefinir modos de agir…

Tenho andado ausente do Deveras Nutritivo, não porque queira mas porque assim teve que ser.

Existem momentos em que precisamos parar, parar verdadeiramente!

 

Mas afinal porquê?

Porque, passados 13 anos de diabetes, perdi a consciência devido a uma hipoglicemia grave. Foi a primeira vez que isto me aconteceu e foi muito grave.

Precisei fazer uma viagem grande e preparei-me, no banco “do pendura” levava, comida (marmelada, ice tea, pão, queijo, frutos oleoginosos, fruta fresca, leite, …), além do açúcar e Libre que vai sempre na zona perto das mudanças.

Estava a conduzir. Vinha em viagem sozinha. Estava a passar o Libre e tinha valores de 80 mg/dl. Tinha este valor no Libre que como sabe, avalia a glicose no líquido intersticial. Deste modo, o valor na glicemia capilar, poderia ser ainda mais baixo do que o indicado no Libre. Parei a bomba e a situação prolongou-se, pelo que tentei parar o carro.

Mas, a minha tentativa foi em vão pois… ao encostar o carro à beira da estrada por 3 vezes o meu corpo não me respondeu, ou seja, encostei o carro para parar mas a perna não “travou”, nas 3 vezes que tentei. Neste momento tive consciência que a situação era muito grave.

Já nem conseguia passar o Libre para realizar uma leitura….

Até que, … abri os olhos após o embate do carro. Tentei segurar o carro mas não consegui… estava em despite até que parou.

Quando olhei para fora do carro vi que a linha do limite da estrada perpendicular ao meu carro, pelo que tentei pô-lo a trabalhar para o mover deste local, sem qualquer sucesso.
Um casal, que vinha num carro depois de mim e simultaneamente telefonava para o INEM, eu saí do carro e eles perguntaram-me como estava. Disse que bem que só tinha umas dores. Enquanto telefonavam, eu dei comigo a fazer o quê? Pois não adivinham, a apanhar os frutos oleoginosos que estavam espalhados por todo o interior do carro. Até que percebi o que estava a fazer, parei e afastei-me para ver o carro, percebendo que tinha sido danificado significativamente…
Eu caminhava, chorava e tinha dores, essencialmente no lado esquerdo do tronco. Só depois compreendi que o airbag do banco tinha disparado.

Entretanto, todos os processos aconteceram…

Fui às urgências, devido às minhas queixas, realizei um RX. Sendo que me indicaram que não tinha nada e que nos próximos dias teria dores musculares, naturais a esta situação, tendo sido prescrito paracetamol 1g para eu tomar.

Ao 4.º dia depois do acidente fui trabalhar, porque embora tivesse muitas dores, tinha realizado RX e nada tinha acusado.

Mas as dores intensificaram-se, assim como, a frequência de contraturas. A trabalhar todos os dias, alguns a conduzir 200 km para ir trabalhar. Comecei a ter exteorização das costelas do lado do airbag.
Por estes motivos, fui ao meu médico de família, que me pediu para realizar outro RX, achando eu que não fazia sentido porque já tinha realizado o exame. No dia seguinte, 12 dias depois do acidente, lá fui fazer o exame. Durante a realização do RX a técnica questionou-me novamente o que me tinha acontecido e qual o resultado do exame que realizei no dia do acidente. Posteriormente, disse-me que tinha várias costelas partidas. Surpresa que justificava as minhas dores!

Quando consegui regressar ao médico, 16 dias depois do acidente, verificamos que eram 4 costelas partidas! Fiquei de baixa durante algum tempo.

Dois meses e 6 dias depois do acidente, realizei outro RX para verificar o estado das costelas: estavam a calcificar (algumas um pedacinho tortas), mas não eram 4 costelas partidas mas sim 5! Ainda perguntei a Técnica do RX “Isso dá-me mais pontos?” e sorri! =)

Sorri quando a vontade era de chorar.

Em 3 segundos levei um abanão para a vida. Que podia ter tido um desfecho fatídico. Podia ter afetado outras pessoas inocentes.
O diagnóstico podia ter sido eficaz. Hoje ainda tenho dores…

 

Mas o que quero que reflita é que a diabetes é para ser levada a sério, nunca facilite.

Todos os dias penso nisto, todos os dias penso nas pessoas que decepcionei e que sofreram por minha culpa, família, amigos, colegas, companheiros de diabetes, profissionais de saúde, …

Foi uma situação muito muito grave e não vai voltar a acontecer.

 

Problema: Não parei para verificar a glicemia capilar e agir de acordo com a mesma.

Aprendizagem: Sempre que tiver a glicemia a 90 mg/dl ou inferior parar, imediatamente, o carro; confirmar a glicemia capilar, corrigir a glicemia e só avançar quando tiver valores superiores e me sentir estável.

 

Depois desta situação, uns amigos, destes amigos da diabetes, aquelas pessoas incríveis que a diabetes te faz conhecer, ofereceram-me, o Blucon Nightrider. Era algo que tencionava comprar após a comparticipação do Libre, mas ainda não o tinha feito.

 

O que é o Blucon?

O BluCon é um dispositivo que colocamos por cima do FreeStyle Libre e que envia para o telemóvel, através de Bluetooth leituras da glicose intersticial do Libre de 5 em 5 minutos. O BluCon permite também definir alarmes de hiperglicemia e hipoglicemia, a valores definidos por cada um de nós, sendo que podemos definir alarmes para diferentes valores.

Assim, o BluCon permite-nos fazer a nossa vida diária e noite com segurança, porque tocam alarmes quando os valores sobem ou descem a níveis que definimos previamente.

 

Foi uma situação que podia ter tido um fim trágico.

Fui protegida, por Deus e pelos meus Anjos.

Esta situação não volta a acontecer, no que estiver dependente de mim, não volta a acontecer.

Acredite que, desde este dia, tenho ponderado a realização deste artigo. Decidi escrevê-lo para partilhar convosco que não consegui reagir. Sempre achei que conseguia. Nesta situação, isto foi o mínimo que poderia ter acontecido.
Por favor, protejam-se e ajam sempre com segurança.

Acredite que sinto culpa pela situação, pelo sofrimento que causei aos outros.
Acredite que sinto vergonha deste episódio.
No entando, quero crer que a minha partilha vai fazer com que algumas pessoas com diabetes atuem de um modo diferente.

Proteja-se!

 

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)

vila

Foto: Vilamoura

Anúncios

13 anos de diabetes

No passado dia 16 de abril fez 13 anos que tenho diagnóstico de diabetes.

A diabetes é uma doença que modifica significativamente a nossa vida! Se me perguntarem em que sentido?

Reflito um pouco… tenho medos… mas ganho forças no melhor da minha diabetes!

As pessoas que a diabetes trouxe para a minha vida!

Aqui poderia falar de muitas, muitas pessoas, pelo que não vou falar de nenhuma pessoa específica.

A diabetes traz-nos dores de cabeça… mas traz-nos relacionamentos com pessoas incríveis! Conhecemos inúmeros heróis e pessoas (nomeadamente crianças), com uma coragem do tamanho do Universo!

Além das crianças, os seus cuidadores. Acabamos por entrar na vida uns dos outros, de um modo a “aliar” a responsabilidade e medo que sentimos, mas também de forma a amplificar a coragem que temos.

Se tinha pavor a agulhas? Eu tinha pavor a agulhas!!! Mas agora é a minha vida. Agora é a vida de muitas pessoas! Bebés, crianças, jovens, adultos ou idosos! Somos imensas pessoas!

O engraçado é que conhecemos pessoas tão fantásticas, que nunca pensámos que existiam. Se eu gosto de música clássica e a outra pessoa de metal, isso não interessa. O que nos une é significativamente valioso.

E se é importante?

Uiii! Se é importante!

Quem vive o dia-a-dia connosco sabe que é difícil! Aliás, existem dias muito, muito difíceis!

13anos

Só quem vive a mesma dificuldade que é controlar uma glicemia após comer um sonho, só quem tem noção que comer um sonho hoje e atuar com… por exemplo, um bólus duplo, resulta com sucesso; o mesmo tratamento amanhã pode já não resultar.

A DIABETES TORNA-NOS MELHORES PESSOAS, PESSOAS MAIS FORTES E MAIS CORAJOSAS!

Torna-nos pessoas mais ricas, na medida em que traz para a nossa vida pessoas maravilhosas!

Obrigada diabetes por me tornares melhor pessoa!
Obrigada a todas as pessoas que fazem parte “da minha diabetes”!
Obrigada ao João César, pela educação na diabetes!
Obrigada à minha equipa de saúde!

Um beijinho ou abraço a todos!

A diabetes de hoje é mais dominável do que, sem qualquer dúvida, há 13 anos atrás! Muita força e coragem!

13anos2.png

 

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)

O que é o Blucon®?

O Blucon® é um sistema que permite emparelhar com o FreeStyle Libre® e enviar os dados por bluetooth para o telemóvel, sendo que recebemos os dados num telemóvel sem ter que estar a fazer leituras.

sdrp

Benefícios da utilização do Blucon:

  • não ter que passar com o telemóvel no sensor para obter leituras
  • leitura a cada 5 minutos
  • definição de alarmes de hiperglicemia e hipoglicemia
  • definição de quantos alarmes quiser e a que valores quiser
  • colocação de sons de alarmes diferentes, de acordo com o valor da glicemia
  • a segurança que nos faz sentir
  • transmitir os dados para outros telemóveis de followers (uma espécie de seguidores) sendo que conseguem aceder em tempo real a glicemia intersticial e que, também os followers podem definir alarmes aos valores que pretenderem. Estes valores de alarme podem ser diferentes dos valores definidos para o utilizador do BlueCon®.

 

Aspectos menos positivos:

  • leituras de 5-5 minutos
  • necessidade de calibração com valores de glicemia capilar e/ou glicose intersticial
  • aumenta o volume do FreeStyle Libre®
  • não ter um sistema de colocação, cada um adapta como quer ao FreeStyle Libre® (fita cola de dupla face, velcro, braçadeiras, …). Eu utilizo fita cola normal dobrada, para me ser fácil de tirar. Ainda não experimentei outro método mas com o calor terei que estudar outra alternativa =)

blue.jpg

O Blucon® é um dispositivo da Ambrosia Sistemas  (consulte o site http://www.ambrosiasys.com ) desenvolvido para a leitura do FreeStyle Libre®, a cada 5 minutos através da tecnologia Bluetooh. Existem 2 opções diferentes do Blucon®:

  • TRANS AM – que é à prova de água, mas não reutilizável, durando apenas 14 dias – Custo 42.00€.+ portes de envio.

 

  • NIGHTRIDER – que não é à prova de água mas permite a utilização de pilha (CR2032) (com duração de cerca 10-12 dias habitualmente) – Custo 119.90€.

 

  • NIGHTRIDER WATERPROOF – que é à prova de água e reutilizável. Tem também uma melhoria na qualdiade do Bluetooh do dispositivo. – Custo 179.90€

 

Dimensão: diâmetro 3,5cm e altura (além do FreeStyle Libre 7 mm)

 

Onde pode adquirir o dispositivo?

É possível adquirir o Blucon diretamente da empresa Ambrosia através do site http://www.ambrosiasys.com , sendo que vem da América e pode haver problemas na alfândega. Ou pode encomenda através de um distribuidor espanhol:

  • TRANS AM –  Custo 42.00€ + portes de envio através de www.ambrosiasys.com
  • NIGHTRIDER – Custo 119.90€, através de http://diabetika.es/pt/wearables-de-ajuda-deteccao-hipoglucemia/402-blucon-nightrider-transmisor-para-freestyle-libre-861086000403.html?search_query=blucon&results=4
  • NIGHTRIDER WATERPROOF –  Custo 179.90€ através de http://diabetika.es/pt/wearables-de-ajuda-deteccao-hipoglucemia/436-blucon-nightrider-transmisor-para-freestyle-libre-8610860004032.html?search_query=blucon&results=4

 

 

Existe um outro diapositivo, um pouco diferente, o Miao Miao® mas com o mesmo objetivo e que também está a ter bom feedback de utilização. Poderá consultar o artigo da BeeDee acerca deste dispositivo em: https://www.deebee.it/?p=14695&lang=pt-pt . este tem o custo de cerca de 180€.  Ainda existe outro dispositivo em desenvolvimento mas ainda não está a venda, teremos que aguardar mais uns tempos.

 

Pode ler a minha experiência com o Blucon® em https://deverasnutritivo.wordpress.com/2018/05/14/abencoado-blucon

O que aprendi foi através de pessoas experts neste dispositivo e compreendo, que com a utilização vamos compreendendo melhor como funciona =)
Bem haja aos meus amigos do coração =)

 

Obrigada ao Alexandre Silva pela ajuda e esclarecimentos para a realização deste artigo =) 

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)

Abençoado Blucon®

A semana passada aconteceu-me estar a trabalhar, sentir-me completamente estável e o alarme do BluCon® começar a tocar. Tinha 86 mg/dl com descida acentuada.

Por este motivo, fui comer 8g de açúcar e meia bola de mistura (30g).

Passados 5 minutos, começou a tocar outro alarme do BluCon, indicando que tinha a glicemia a 68 mg/dl, a descer.

Estranhando a velocidade com que esta situação acontecera, e por não ter nenhum, repito, nenhum sintoma de hipoglicemia, passei o leitor do FreeStyle Libre®.  O resultado foi 44 mg/dl. Pensei… vou verificar com glicemia capilar, efetivamente tinha 46 mg/dl e poucos minutos depois, 43 mg/dl. Neste momento já tocavam os alarmes de valores mais baixos no BluCon.

De facto, o BluCon demonstrou-me que devo confiar nele, nunca esquecendo que QUANDO O NÍVEL DE GLICOSE ESTÁ A DESCER, O VALOR NO LÍQUIDO INTERSTICIAL É SUPERIOR AO VALOR DA GLICEMIA CAPILAR.

Foi então que pensei, abençoado BluCon®, porque só teria dado por ela com valores bem mais baixos.

gráfico blucon

Assustou-me o facto de não ter qualquer sintoma com este valor!

blucon.png

O que fazer agora?

  • Definir alarmes a valores mais elevados, para que, se tiver a glicemia a descer, ter tempo de atuar precocemente evitando a ocorrência de hipoglicemia. Criei um novo alerta para o valor de 90 mg/dl.
  • Confiar no BluCon® =) Sendo que temos que reagir e…
  • Confirmar sempre a glicose capilar no momento e…tomar açúcar, gel ou marmelada mais cedo! Agir mais precocemente!

blucon2

A Nutricionista, Vera Ruivo Dias (0313N)